Fim do peleguismo sindical

FESPEM-PB Todos na luta

Criada pela Constituição de 1937, no Governo de Getúlio Vargas, a contribuição sindical,também chamada de imposto sindical, é um tipo de contribuição social paga obrigatoriamente por todos os trabalhadores brasileiros, uma vez ao ano. Corresponde a um dia de trabalho. E todos os trabalhadores, independente de serem ou não filiados a um sindicato, são obrigados a pagar.

Em 1940, através de decreto-lei, essa contribuição foi denominada de imposto sindical e estabeleceu, entre outros, a época do recolhimento pelas empresas e indicou o percentual a ser distribuído pelos sindicatos às entidades de grau superior.

A Constituição de 1988 preservou a contribuição sindical compulsória, mantendo assim a principal fonte de recursos dos sindicatos. Mas os deputados e senadores que apoiam o governo golpista de Michel Temer resolveram acabar com a contribuição, numa tentativa de enfraquecer o movimento sindical.

Mas eles se enganaram. Com o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, quem vai ser abalado é o peleguismo sindical que se locupleta com a contribuição e não defende efetivamente os trabalhadores

Para os sindicatos verdadeiramente atuantes, que lutam em defesa da classe trabalhadora, os prejuízos com o fim da contribuição serão mínimos.

Para a FESPEM-PB e a CSPM, essa contribuição será discutida democraticamente em assembleias gerais convocadas pelos sindicatos filiados junto aos trabalhadores.

Se as categorias tiveram ganhos salariais em suas datas-base, o desconto será obrigatório nos contracheques de todos os trabalhadores que tiverem direito ao reajuste. Somente assim, serão banidos os pseudo-sindicalistas que enganam os trabalhadores.