Sindicato ver com cautela armar guarda municipal

FESPEM-PB Todos na luta

Chico do Sintram está se opondo a proposta de vereador pessoense, que quer dar poder de polícia a guardas urbanos

O presidente do Sintram (Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais de João Pessoa), Francisco de Assis Pereira, não concorda com proposta do vereador pessoense Eduardo Carneiro (PRTB), para que se crie uma legislação que dê poder de polícia à Guarda Civil Municipal. O sindicalista adianta interesse em se fazer presente, com servidores municipais, à Audiência Pública solicitada, programada por Carneiro, para o dia 08 do mês que vem, no plenário da Câmara.

Para Chico do Sintram, a proposta do vereador não se coaduna à realidade da conjuntura atual, ao momento de dificuldades porque passam os servidores da Guarda Municipal. Segundo ele, esses trabalhadores, a maioria de idade avançada e ganhando salários irrisórios (no patamar do Mínimo nacional), não dispõem de formação profissional adequada ao exercício policial que se verifica no aparelho de segurança pública convencional, e nem estão satisfeitos com a forma como desempenham as tarefas diárias de trabalho, dada a escassez de certos apetrechos.

Guardas Municipais precisam de salário digno e condições de trabalho e não de armas.

Problemas como esses, ainda segundo Chico do Sintram, têm causado grave deserção no contingente da Guarda Municipal. Ele revela que muitos dos que foram contratados, no Concurso Público mais recente, têm buscado alternativas funcionais em outros estados do Nordeste – os mais próximos da Paraíba -, também através de Concursos, e o restante da categoria está desestimulado ao exercício profissional, sobretudo, em razão da baixa remuneração auferida.